sexta-feira, 24 de março de 2017

Voto em lista: pequenos partidos sobreviverão


O voto em lista é tudo que os vigaristas querem. A campanha será longa e custosa. Exigirá bastante dinheiro para sustentar uma máquina de propaganda destinada a angariar votos para uma legenda partidária qualquer. Será um farra para os pequenos partidos. Quanto custará a chamada "cabeça da chapa"? Um projeto eleitoral bem organizado coloca o financiador no primeiro lugar da lista. Outras lideranças ficariam distribuídas no rol, de maneira a obter pelo menos mais de dois coeficientes eleitorais. Empresários bem sucedidos não encontrarão qualquer dificuldade de comprar a vaga privilegiada e financiar um exército de cabos-eleitorais. As últimas eleições municipais mostraram isso em vários lugares. Plutocratas aventureiros, como os prefeitos de Belo Horizonte e de São Paulo, venceram facilmente lideranças consolidadas. Os pequenos partidos não têm que se preocupar com sua sobrevivência. 

Deus e o diabo na terra dos pinhais


Sugestão para Lula: tendo perdido a assistência do ilustre professor criminalista Juarez Cirino, contrate outro professor notório: o igualmente criminalista Sérgio Salomão Shecaira. Estará em boas mãos, mãos de calango, claro. Dinheiro não é problema quando a relação se dá entre camaradas e companheiros. Exótico e atrevido - até a prisão de Sérgio Moro ele já pediu - será um espetáculo o combate político e jurídico entre os dois xarás - um do mal e o outro do bem, um novo Deus e o Diabo na terra dos pinhais. O boquirroto Shecaira poderá, assim, prestar um grande serviço à organização criminosa que assaltou o país, caso seja bem sucedido. As apostas estão na mesa. Vamos, Shecaira, força e coragem. 

Doutor Tomás Turbando: o mais limpo tem sarna

O trio de juristas que ornam o mundo petista: professores doutores Sérgio Salomão Shecaira, José Eduardo Cardoso e o famoso mestre Tomás Turbando, íntimo amigo de Cardoso, de quem é devoto. São os ícones de verdadeira legião. Na cabeça da manada de desmiolados políticos são os mais destacados. Tudo isso é público e notório, conforme estão demonstrando a Operação Lava-Jato, bem como outros procedimentos que correm na justiça eleitoral.

O mais limpo da turma tem sarna.


quinta-feira, 23 de março de 2017

Dilma, a porca gadarena


Para justificar sua recusa em morar no palácio da Alvorada (preferindo continuar habitando o palácio do Jaburu), o presidente Michel Temer assim se manifestou:

“Não deixo de acreditar em certas energias. Não me senti à vontade.”

O presidente, com certeza, lançou mão de sua fina sensibilidade espiritual para identificar a presença, nos aposentos antes ocupado por dona Dilma, de encostos e demais espíritos imundos, criaturas malignas por excelência, brotadas das profundezas do inferno.

A vara de porcos gadarenos comandada pela antiga presidente ainda vai afetar, e muito, o ambiente institucional brasileiro. O PT, esse amontoado de suínos, está aí para não deixar qualquer dúvida a respeito. Alguém deveria jogar água benta na possuída dama vermelha, em rigoroso ritual exorcista. Cruz credo; sai pra lá Exu caveira. 

quarta-feira, 22 de março de 2017

Prisão para Sérgio Moro



A melhor prova de que a insanidade ocupou, de vez, o ambiente acadêmico das principais universidades brasileiras, está no pedido de prisão para o juiz Sérgio Moro, proposto por um professor de direito penal, pra lá de esquisito, da Faculdade de Direito da USP, há alguns dias. É uma verdadeira revolução epistemológica, somente vista em alguns filmes de faroeste, onde o bandido é quem persegue o mocinho. 


Audácia ou loucura de advogado petista?

Sede do PMDB invadida por professsores


No último 21 de março, pelegos de uma dita CONLUTAS, buliçosa Central Sindical pertencente ao PSTU, PSOL, Rede e outros micropartidos, invadiram a sede mineira do PMDB, em Belo Horizonte. A palavra de ordem, claro, era o "fora Temer", seguido de outra curiosa apologia: a "fica Dilma". Quem quiser ouvir, pode procurar nos blogs e outras redes sociais. O rosnado da pequena e atrevida multidão não pediu, o que pareceria mais lógico - o "volta Dilma" - mas, sim, o "fica Dilma"... fica onde você está pelo que se pode deduzir. 

Evidentemente, os professores estavam matando aula, trazendo graves prejuízos aos alunos e às suas famílias. Se o emprego que aqueles têm não lhes satisfaz, qualquer que seja o motivo, a solução é simples. Basta pedir demissão e procurar outros afazeres. Essa gente votou maciçamente em Pimentel para o governo de Minas Gerais, governo este que, em troca, está pagando o salário mensal dos funcionários públicos à prestação, tal qual vem fazendo o governo do Rio de Janeiro. Por qual insidiosa razão essa gente não vai protestar em frente à CEMIG (onde o governador despacha usualmente, escondido de eventuais pressões, ou de uma batida policial derivada de suas roubalheiras, tal como sinaliza a Operação Acrônimo da PF), ou então nos largos jardins da Cidade Administrativa, lá nos confins do Judas, na região norte da capital mineira?  

O triste papel que os docentes mineiros vêm desempenhando - o de massa de manobra de pelegos sem escrúpulos e, pior, o de traidores da causa da Educação - só confirma, infelizmente, o acerto de velho aforismo perfeitamente aplicável àqueles oportunistas: aquele a quem os deuses odeiam, fazem-no professor. 

terça-feira, 21 de março de 2017

Friboi

Propaganda do grupo JBS a propósito do escândalo das carnes podres


Os frigoríficos gigantes, como o Friboi, também fazem parte da herança maldita do regime petista. Com a ajuda do BNDES, e dos Fundos de Pensão das estatais, esses vendedores de carniça, verdadeiras hienas, enriqueceram prodigiosamente. 

Os últimos acontencimentos, relativos a fraudes e manipulação de carne podre, talvez sirvam de saudável exemplo para a população refletir sobre aquilo que ingere. E nada melhor que a quaresma para se pensar a respeito.